sexta-feira, 26 de abril de 2013

Tá quase andando.


Isso pode ser muito esperado por todos nos mamães, mas definitivamente é um misto de alegria e preocupação redobrada, já que o bebê que até então era protegido pelos nossos braços agora esta exposto a todos os perigos do ambiente, andar pode ser muito perigoso. E na cabeça das mamães, é um pânico ver aquele bebezinho de pouca experiência e muita fralda a engatinhar, tentar subir, equilibrar-se nos móveis e arrastar objetos. Na minha terceira viagem como mamãe, digo que é bem complicado mesmo. Você quer soltar porque é o certo, mas aí ele bola no chão, cai, machuca o joelho e você já tem aquela vontade de proteger nos braços. Ô dúvida cruel! Certo mesmo é que ele vai precisar se expor para conquistar a independência, não só no caminhar, mas em todo o resto. Correr, brincar, colocar besteira na boca, coisa que toda mãe fica louquinha, mas até isso é necessário para o fortalecimento do seu sistema imunológico. O jeito é cuidar para que tudo, se não sair perfeito, que sai ao menos sem grandes traumas e dificuldades para mãe e bebê. Pense em formas de manter seu bebê seguro, mas não vá pensando em comprar aparatos de skatista, joelheiras e capacete e etc. Até o tombo é uma forma de aprendizado. Mantenha só sob sua supervisão para que saiba sempre onde e como se machucou para ter como agir em casos mais traumáticos. Uma boa dica é só levar o bebê para o chão sob a atenção de um adulto. Pode ser você, o papai, a babá. Evita muitos sustos e ter que correr. O ideal é sempre que quem esteja de olho na criança, esteja somente a essa missão. Outra coisa muito importante é manter a higiene do ambiente, mas não precisa exageros, limpar a casa três ou quatro vezes na semana já é o suficiente. Lembre-se: Seu bebê precisa adquirir anticorpos e em outros ambientes, você não vai poder mesmo manter o controle. Ainda com relação a casa, temos que estar atentos. A casa é o recordista em acidentes nos pronto socorros e que podem ser evitados com simples cuidados como já dei a dica a cima e alguns outros. Vamos lá! Você já sabe que na higiene não é necessário tantos exageros. Mas na segurança do ambiente, todo cuidado é pouco. Os bebês são bichinhos bem curiosos e rápidos e você pode surpreender-se ao imaginar que não descobririam pequenos buraquinhos como os de tomadas, fios de carregador de celular, entre outros perigos. As minhas principais dicas são: Mantenha a criança sempre longe da cozinha e desde muito pequena mostre que aquele lugar da casa é área proibida. Quanto menores são mais capazes e fáceis de assimilar o “não”, não que eles saibam o que a palavra significa é a conotação com que a diz que fica gravada na mente do bebê. Mesas, cadeiras e outras decorações e móveis da casa que tenham ponteiras precisam de suporte arredondado ou os tire do ambiente ao colocar a criança para brincar. Tomadas sempre tampadas, fios sejam eles do que for oferecem risco, mesmo sem carga elétrica o bebê pode puxar e quase sempre na outra ponta vem objetos pesados. Objetos pontiagudos, pequenos. Até mesmo elásticos de cabelo, moedas e grampos não podem mais estar sobre móveis ou caídos no chão. Evite um engasgo. Acredite! Quanto menores os objetos, mais rápido seu filho vai levar a boca. Cama não é lugar de brincadeira, além de se machucar com uma queda, seu filho tem que sempre associar o leito a repouso e não a brincadeira. Portas de banheiros, áreas de serviço que estão sempre molhados e tomados por tapetes devem ser mantidas fechadas, são outros ambientes proibidos sem supervisão. Banheiras, bacias, baldes e etc. Pelo amor de Deus não coloque no alcance da criança e nem por um segundo o deixe só. Existem inúmeros casos dolorosos dessas pequenas displicências. Então não arrisque. Discordo de mães que põem brinquedos na hora do banho e deixam a criança de molho, em geral, elas tem uma atração estranha pela água e controle algum sobre o que podem ou não emergidos. Todo cuidado é pouco, isso vale para piscinas também. Nunca deixe a criança brincando perto de água sozinho. Dizem que o que atrai a criança a imersão é sempre o reflexo como o do espelho. Gavetas, portas, janelas e tudo que abre e fecha também é um grande atrativo para esses pequenos, então trave sempre com suportes ou improvise. Não dá para apostar no bom senso deles. E agora você pode até pensar: “Nossa! Minha casa é um perigo”. Mas não é bem assim. O fato é que perigoso mesmo é o seu pequeno descobridor. Esse sim é um perigo. Depois disso tudo é deixar seu pequeno crescer. Deixe-o aprender do seu mundo. Vai valer super a pena, você vai ver. O bebê começa a criar segurança em si mesmo quando começa a andar e fica mais independente dos pais. Use isso ao seu favor quando precisar dar aquela saída com o maridão. Além disso, facilite seu cotidiano com menos choros sofridos quando precisar trabalhar.

Lia Joca




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá,
Que bom que está aqui,
Vamos trocar idéias? Deixe aqui sua dica, dúvida, comentário ou quem sabe ajude-nos a escrever o próximo post nos dizendo sobre o que gostaria de ler.
Abraço,
Lia Joca